O que é a adenoidectomia?

Seu médico solicitou uma adenoidectomia e você não sabe o que significa isso? Fique tranquilo(a), pois iremos te falar tudo que você precisa saber sobre isso.


Antes de mais nada, saiba que não é preciso se preocupar, essa é uma cirurgia considerada simples e que ocorre em caso de adenoide, por isso, seu médico pode te indicar um especialista otorrinolaringologista.


Quer saber mais sobre isso? Continue lendo este post.


O que é a adenóide


A adenóide é uma estrutura fisiológica, formada por tecidos linfóides, que são tecidos de defesa do organismo, a estrutura está localizada atrás das cavidades nasais e acima do céu da boca (palato), em um região conhecida como nasofaringe.


Por esse motivo, a adenóide é denominada cientificamente como tonsila nasofaríngea. Mesmo sendo um tecido linfóide, o seu crescimento exagerado pode causar problemas, prejudicando a qualidade de vida da pessoa.


Adenóide não é como a doença é chamada, mas sim a estrutura, que todo ser humano têm, assim como outros tecidos linfáticos e as amígdalas, a adenóide é responsável por produzir anticorpos e reagir a organismos invasores.


Adenoidectomia


Adenoidectomia é o procedimento cirúrgico responsável pela remoção do tecido linfóide localizado na parte superior da nasofaringe humana, conhecidas como adenóides e tonsilas faríngeas.


É uma cirurgia simples que ocorre com o uso de uma anestesia geral. A adenoidectomia é popularmente conhecida como carne esponjosa, um tecido que avança nas vias respiratórias, dificultando a respiração do paciente.


Até certo ponto é possível tratar e controlar o crescimento desse tecido, no entanto, chega um certo ponto onde a melhor saída é realizar a cirurgia, que irá melhorar muito a qualidade de vida do paciente.


A cirurgia é indicada diante de roncos, otites, estado geral de saúde, apnéia obstrutiva, deficiência auditiva, otite média secretora, duração dos sintomas de mais de 2 anos.


Sintomas de de hipertrofia da adenóide


Pessoas que convivem com adenóide possuem sintomas bem perceptíveis, que podem aparecer desde os primeiros dias de vida. Por isso, é facilmente detectada e pode ser removida ainda nos primeiros meses de vida.


Os sintomas mais recorrentes são: dificuldade respiratória, obstrução nasal, ronco e apneia do sono, além de quadros de otite, sinusite e rinite de difícil tratamento. O diagnóstico é feito basicamente a partir destes sintomas que caracterizam a hipertrofia da adenóide.


Para realizar exames e até indicar o caso cirúrgico, o diagnóstico é geralmente realizado por pediatras e otorrinolaringologistas.


O pico de crescimento deste tecido ocorre entre os 3 e os 6 anos, quando o crescimento é maior que o normal, durante o resto do desenvolvimento da criança, então pode configurar um caso de hipertrofia da tonsila nasofaríngea.


Mesmo que essa estrutura seja de defesa do organismo, quando seu crescimento é exagerado, os malefícios associados à ela são maiores que os benefícios imunológicos.


As causas para esse crescimento da adenóide podem ser diversas, desde infecções virais de repetição, rinite, fatores genéticos e biofilmes bacterianos (colonização crônica da nasofaringe por bactérias).


Tratamento


A confirmação do diagnóstico é feito com uma radiografia lateral da face (Raio-X de Cavum) ou pelo exame de vídeo endoscopia nasal (nasofibroscopia), onde uma pequena câmera é introduzida pelo nariz, permitindo melhor visualização de toda nasofaringe, o que é o melhor método.


Após a confirmação do diagnóstico prévio o melhor tratamento, e o mais eficaz, é a cirurgia, adenoidectomia, no entanto, nem toda a adenóide precisa ser removida.


A cirurgia é um procedimento bem simples e pode ser feita em apenas 30 minutos, algo muito simples e fácil, geralmente é aproveitada a ocasião para a remoção das amígdalas ou colocação de tubos de ventilação nos ouvidos.


Além dessa opção, ao ser diagnosticada, a criança pode ser acompanhada até a adolescência, onde geralmente ocorre uma involução, logo após a puberdade. Até lá, é possível manter o controle com antibióticos.


No entanto, caso seja necessário, a cirurgia é a saída para garantir os melhores resultados e uma boa qualidade de vida para o paciente, que pode acabar sofrendo de diversas maneiras com esse problema.


Por isso, o indicado é a adenoidectomia, que irá garantir que o paciente possa respirar bem, dormir bem e longe de ataques de rinite muito fortes, além de outros problemas associados à carne esponjosa.


Como já dito, é uma cirurgia simples, portanto, não há o que temer, irá levar apenas alguns minutos e lembre-se, é a melhor saída para que sua vida seja o mais tranquila possível, no que depender da sua respiração.


Geralmente, a condição não está associada com outras condições mais graves, por isso não há porque se preocupar, sendo a cirurgia o fim dos seus roncos, apneias e outros problemas que vêm junto com a hipertrofia da adenóide.


Assim, caso esteja sofrendo com esses sintomas, procure um otorrinolaringologista que pode te ajudar a remover esse problema com uma adenoidectomia.


Quer saber mais? Acesse o site do Otorrino em Balneário Camboriú - Cóclea Clínica.




O que é a adenoidectomia?

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo